Cerveja
Foto: Divulgação
Publicidade

Hoje quero mostrar para você leitor, que muitas pessoas estão escrevendo uma estória muito bacana dentro deste mundo maravilhoso que é o das cervejas caseira e artesanal. Vou procurar mostrar quem são estas pessoas e quais são seus projetos

Acho que muitas vezes não sabemos quem são nossos ídolos em certas áreas e dentro deste mundo principalmente. Como tenho o prazer de me relacionar com várias pessoas que estão lutando e muito para entregarem não só um produto de qualidade, mas que se esmeram para oportunizarem experiências especiais para o público.

Quando comecei a degustar cervejas artesanais, muitas vezes eu ficava imaginando quem seriam as pessoas que produziam aquelas delícias que eu provava e como as faziam. Imaginava se eram pessoas que por muitos anos estudaram sobre a produção de cerveja, os insumos e equipamentos, para daí começarem a produzir aquelas belíssimas cervejas.

 Hoje eu tenho o prazer de conhecer e conviver com muitas destas pessoas, sabendo quem verdadeiramente são e pelo que passaram para chegarem ao estágio em que chegara. Tenho várias destas pessoas como meus ídolos, meus heróis.

Assim, vou tentar ao longo do tempo, mostrar um pouco mais de algumas destas pessoas que acredito merecem ser conhecidas, assim como seus projetos. Vocês poderão constatar que são pessoas comuns, mas com uma imensa vontade de proporcionar momentos muito especiais.

Então vou começar falando de uma família muito bacana, da qual já comentei um pouquinho em texto lá no portal VRNews, pois divulguei e prestigiei alguns lançamentos deles nos últimos tempos.

Conheço mais de perto os meninos João Paulo Hespanha e Pedro Hespanha, mas ainda não tive o prazer de conhecer o pai, o Sr. José Hespanha. Estes são os três sócios da Hespanha Brewery, cervejaria que sempre recomendo que seja seguida de perto, pelos motivos que vocês encontrarão nas linhas a seguir.

Cerveja
Foto: Divulgação

Bom, para vocês conhecerem um pouco mais desta família cervejeira, é interessante saber que o Sr. José é administrador de empresas, o João é bacharel em Sistemas de Informação e o Pedro é Zootecnista.

 O João possui duas empresas, sendo uma fábrica de software fundada há praticamente seis anos e uma agência de marketing e publicidade que foi aberta este ano, devido à uma grande demanda de mercado por este tipo de serviço, que é ligado a fábrica de software.

 Bom, como a avó destes meninos é de origem polonesa, costumava sempre ter certo estoque de cerveja caseira fermentada por ela mesma. O João afirma que se lembra da explosão de algumas garrafas do estoque, bem como o aroma mais azedo e de panificação que ficava na sua despensa depois destas explosões.

 Isso também me traz recordações, pois a Dona Hermínia, minha avó também era de origem polonesa e fazia cerveja em casa. Tenho até hoje o pote de cerâmica no qual ela fazia a cerveja, a gengibirra e a conserva de pepino com folha de parreira. Inesquecível!

Cerveja
Foto: Divulgação

João conta ainda, que certa vez sua sogra estava em dúvida sobre qual presente iria dar no aniversário ao esposo. Foi aí que o João a incentivou a comprar um kit de produção de cerveja em casa. O João confessou que estava com segundas intenções naquele momento.

Logo depois, ele, seu pai e o irmão adquiriram um equipamento para a produção de 40 litros de cerveja. A paixão deles pela produção da própria cerveja foi tamanha, que chegaram a produzir cerveja todo final de semana e, em alguns momentos, chegaram a fazer 3 produções em um só dia.

Daí em diante foram várias produções, nas quais eles perceberam que havia como desenvolverem receitas de cervejas realmente criativas e diferenciadas, e isso quer dizer que descobriram que é possível transformar um gole em um sorriso e uma experiência para as pessoas, palavras do João.

Daí em diante, este espírito foi recompensado com feedbacks excelentes das pessoas que puderam provar das cervejas deles. Com isso, pouco tempo depois eles compraram outro equipamento, agora para a produção de 175 litros, e foi aí que tudo começou, pois começaram a sentir a necessidade de dividir isso com um número cada vez maior de pessoas.

Nesse mesmo período eles se afiliaram à Acerva-PR, participando de todos os encontros das noites da artesanais, lembro de ter conversado com eles em alguns destes encontros, bem como de ter provado algumas das cervejas que eles produziram, muito boas por sinal!

 Eles receberam feedbacks muito bons inclusive de pessoas que já produziam cerveja há anos. Mas foi em janeiro de 2018 na cervejaria Maniacs que aconteceu um fato muito bacana para eles. Estava sendo oferecido um prêmio especial para a cerveja que ficasse em 1º lugar na noite, pois p ganhador iria poder produzir 500 Litros da receita ganhadora, na fabricada Maniacs.

E adivinhem o que aconteceu? A Sour com Mirtilo que eles produziram e que depois viria se chamar Sofia Sour, acabou empatada em 1º lugar com uma belíssima Triple IPA do cervejeiro Everton Delfino,que hoje é um dos sócios da Joy Project Brewing.

 Para o desempate foram solicitadas mais amostras, para que alguns juízes BJCP pudessem definir qual a cerveja ganhadora. É claro que eles mereciam e ganharam pela escolha dos juízes. Foi quando eles, sempre com o espírito de cervejeiros caseiros, decidiram promover uma festa com o intuito de oferecer boa parte da produção da Sofia Sour aos associados da Acerva, em retribuição à oportunidade que foi dada a eles.

Cerveja
Foto: Divulgação

Nem preciso dizer que a galera da Acerva curtiu bastante, e que a noite foi looooongaaaa… este foi o momento no qual eles tiveram a primeira experiencia com uma produção em uma fábrica. Bom, ao que parece gostaram bastante da experiência, pois poucos meses depois iniciara a bela jornada como cervejeiros ciganos da Way Beer, sendo que hoje eles produzem de 1.000 a 1.500 litros por mês. E aguardem com bastante atenção, pois logo tem novidades pintando pelos bares e lojas!

E como a vida de muitos cervejeiros acaba se ligando a outras bebidas também, bem como rende muitas estórias, contos e causos imaginem que com eles aconteceu isso também. Lembre-se que eles estão em um belíssimo início de projeto.

Então, como muitos cervejeiros caseiros, eles também foram se aventurar na produção de hidromel. certa vez resolveram produzir o que talvez venha a ser o primeiro hidromel Viking Blood do litoral do Paraná, pois eles são de Paranaguá. Este é um estilo de hidromel cheio de identidade e magia.

 O mentor deles nesta produção, pois seria a primeira produção deles, foi o grande amigo deles e meu conhecido, o Oscar Cavalcanti, mais conhecido por JR da Bodebrown. Ele é irmão do Samuel Cavalcanti, o dono da BodeBrown.

 Bom, João conta que o Oscar desceu até Paranaguá para produzirem 80 litros de Viking Blood no equipamento da cerveja deles…

 Porém, durante a produção uma grande, muito grande quantidade de abelhas invadiu a casa deles e começaram a se acomodar na garagem. Quando meu antigo parceiro produzia hidromel ou Candi Sugar para fazermos cervejas Belgas, também juntava muita abelha. O radar delas para o mel é muito apurado!

 João conta que no início foi um pouco desconfortável, porém logo foram se acostumando com a presença delas. Mas o fato mais inusitado foi durante a produção, pois quando foram adicionar as especiarias no mel caramelizado, formou-se um coração ao despejarmos o “sangue” da receita, que é composto por 7 especiarias, sendo que dentre elas o hibisco é que dá a cor.

Cerveja
Foto: Divulgação

Mas a coisa não ficou só nisso, pois para completar formou-se um arco e uma flecha na espuma do mel, apontando para o coração… Vale dizer que para aqueles que não entendem nada de hidromel, de bruxaria ou da ação dos Deuses, que não venham estragar um argumento de venda deles.

 É capaz de alguém dizer que eles haviam bebido muito!!! Mas, por sorte eles tiraram uma foto para comprovar a história. Eu provei este hidromel e garanto que ficou realmente muito especial, mas eles já fizeram uma versão maturada em uma barrica de carvalho francês, que ficou 1 ano, fato que proporcionou uma complexidade muito interessante ao hidromel.

 Um fato muito importante, esta semana uma versão deste hidromel ganhou a medalha de ouro com o primeiro lugar no Concurso Paranaense de Cerveja Feita em Casa da ACERVA-PR, na categoria Cidra e Hidromel.

Cerveja
Foto: Divulgação

Mas, voltando à cervejaria, o nome dela vem do sobrenome da família, “Hespanha”. Sua origem é ibérica peninsular, ou seja, é a região que hoje compreende os territórios, tanto portugueses quanto espanhóis. E como eles são naturais de pequena e bela cidade de Paranaguá-PR, as pessoas de lá conhecem a família pelo sobrenome, fato que ajudou bastante no início da trajetória.

 Vejam, a Hespanha Brewery entrou no mercado buscando proporcionar experiência e satisfação no consumo de cervejas, sendo que esta satisfação é a mesma que eles têm ao compartilhar uma boa cerveja com os amigos e a família.

 Tenho a certeza de que não medem esforços nem investimentos para desenvolver uma receita na qual acreditam, sendo que aplicam muita energia positiva na produção, pensando constantemente em qual será a reação das pessoas ao bebê-la.

Cerveja
Foto: Divulgação

A seguir algumas curiosidades sobre algumas das cervejas que eles já produziram:

  • Berries N’Roses: trocadilho que fizeram com o nome da banda Guns N’Roses, pois esta deliciosa cerveja é do estilo Sour, produzida com amoras e framboesas (Berries) e ainda pétalas de rosas;
  • Cajá da Peste: trocadilho que fizeram com o termo “Cabra da Peste”, que é utilizado na região nordeste, e devido à utilização do Cajá Manga,que é uma fruta típica do nordeste brasileiro;
  • Guajavinha:uma cerveja colaborativa com a cervejaria Lobos, que por ser no estilo Sour com adição de goiaba, eles usaram o nome cientifico da fruta, o Psidium Guajava. Colocando no diminutivo, veio a Guajavinha;
  • Sinfonie: nesta cerveja o objetivo era elaborar uma cerveja com fermentação Lager, extremamente equilibrada de maneira que todo o conjunto de lúpulo,malte e fermento viessem a se complementar. Então eles utilizaram uma adaptação do nome em alemão para Sinfonia,termo que remete muito a esse equilíbrio desejado. Esta é uma cerveja colaborativa com a cervejaria Pinhalense;
  • BagrIPA: existe uma tradição em Paranaguá,que é a de chamar quem nasce na cidade de Bagre ou Bagrinho (Bagre é designações comuns dadas aos peixes da ordem Siluriformes. Então eles fizeram essa brincadeira com o nome da cerveja;
  • Sofia: a primeira Sour deles produzida industrialmente. Foi uma homenagem que prestaram à avó, que se chamava Sofia. Nesta receita foi introduzido o Mirtilo para dar um toque especial.

Além das cervejas:

  • Hop Lager: colaborativa com a cervejaria 365;
  • La IPA: colaborativa com a cervejaria Babuína;
  • Belgian Blond Ale.Cerveja

Foto: Divulgação Eles mesmos criam os nomes, normalmente inspirados nas características das cervejas que produzem, bem como de algum ingrediente ou alguma influência das origens deles.

 Eles procuram lançar as cervejas de acordo com a sazonalidade de cada proposta, sendo que possuem muitas receitas não lançadas ainda, assim como outras mais, em desenvolvimento.

 É importante lembrar que a Hespanha Brewery é cigana, pois hoje utilizam a estrutura da Way Beer para produzir as suas receitas. Isso muito em função deles terem outras atividades profissionais. Desta maneira podem se dedicar mais no planejamento e elaboração de receitas.

 Uma das paixões deles refere-se a cervejas de fermentação espontânea e,portanto, começaram os estudos e os testes de laboratório para lançarem este tipo de cerveja nos próximos anos.

 Segundo o João, uma das melhores que ele provou nos últimos tempos foi uma Imperial Porter da Way em colaboração com o famoso Randy Mosher,na qual foram utilizadas sementes e madeiras brasileiras.

 Ele também comentou que a Hespanha Brewery procura incentivar a cultura das cervejas artesanais, à exploração desta vastidão de estilos, pois é um entusiasta deste fantástico mundo, e deseja trazer cada vez mais pessoas do mercado de cervejas mainstream (comerciais) para o mundo das artesanais.

Cerveja
Foto: Divulgação

 

Uma frase muito bacana dele foi “- Se você ama cerveja e ama a reação de satisfação e descoberta quando um amigo seu degusta a sua cerveja, meta a cara e seja feliz! Mas cuidado, uma cervejaria dá MUUUIIITOOO mais trabalho do que produzir uma bela panelada e curtir com os amigos… E se você não fizer contas, pode perder muito dinheiro mesmo!”

 A mensagem dele para os fãs da marca Hespanha é:

“- Continuem nos seguindo e acompanhando a Hespanha Brewery, pois nos nossos eventos sempre procuramos oferecer o que temos de melhor. E esperem muitas receitas super diferenciadas, muitas SOURS incríveis e outros estilos que irão lhe surpreender!”

Cerveja
Foto: Divulgação

 

Bom espero que vocês tenham gostado desta apresentação e se ainda não conhecem as cervejas desta bela cervejaria, procurem provar, pois tenho certeza que não irão se arrepender.

Encontraremos-nos em breve novamente!!!

Cheers!!!

**

Jorge MarcondesJorge Marcondes Analista de sistemas por profissão e especialista em tecnologias educacionais, graduado e mestre em administração de empresas, professor de graduação e especialização no ensino presencial e a distância, degustador contumaz e apaixonado por cervejas artesanais e caseiras. Colunista do portal VRNews desde 2014 e agora do Expresso Livre, abordando o universo das cervejas caseiras e artesanal.

Publicidade

Deixe uma resposta