Foto: Divulgação
Publicidade

São Paulo, SP 10/11/2020 –

Segundo Vívika Sorensen Barone — responsável pelo E2 Quântico — , com a disseminação do conhecimento, a tendência é que modalidades como a terapia quântica deixem de ser tabu.

Chegou a 6,6 milhões o número de brasileiros que buscam práticas integrativas e complementares (PICs) — como acupuntura, aromaterapia, homeopatia, meditação, reiki e   yoga —,terapias complementares para tratar diversas doenças e transtornos. É o que dizem as últimas informações do Ministério da Saúde.

Foi por meio da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares — criada em 2006, após aprovação unânime pelo Conselho Nacional de Saúde — que o Sistema Único de Saúde (SUS) passou a implementar tratamentos alternativos à medicina. Hoje, o sistema já disponibiliza 29 procedimentos de PICs de forma integral e gratuita em todo o País.

Em virtude da alta procura pela modalidade, em tempos de pandemia, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) investiga o Uso de Práticas Integrativas e Complementares no contexto da Covid-19 (PICCovid) por meio de estudo on-line.

A pesquisa, que segue em aberto desde o dia 25 de agosto, já recebeu mais de 10 mil participações e averigua a utilização das PICS por pessoas que foram, ou não, vítimas direta ou indiretamente pela Covid-19.

Segundo Vívika Sorensen Barone — responsável pelo E2 Quântico —, com a disseminação do conhecimento, a tendência é que modalidades como a terapia quântica deixem de ser tabu.

“Cada vez mais, os brasileiros estão aderindo a tratamentos que utilizam recursos terapêuticos que podem somar à medicina tradicional, o que sem dúvida pode trazer mais saúde e qualidade de vida, inclusive no pós-pandemia”, afirma.

Terapia Quântica: o que é?

Nas palavras de Vivika, “a Terapia Quântica compreende manipulações da frequência vibratória, elevando a frequência do ser e sintonizando-o com equilíbrio e prosperidade que fazem parte de sua realidade, esquecida após dificuldades ou sofrimentos”.

A Terapia Quântica está entre as modalidades que foram implementadas nos programas oficiais da OMS (Organização Mundial de Saúde), em 1976, e  que foram ratificadas em 1983, conforme afirma o Senado Federal, por meio do Projeto de Lei do Senado Nº 64, de 2009.

A lei dispõe sobre a regulamentação do exercício das atividades de terapias no País, a criação do Conselho Federal de Terapeutas e dos Conselhos Regionais de Terapeutas, suas atribuições e responsabilidades, entre outras providências.

“O coração é a maior fonte reguladora de frequência do nosso campo eletromagnético. Cada célula do coração é única e pulsa em sintonia com todas as outras células do coração, emitindo um sinal eletromagnético que se irradia para todo seu campo e colocando você em sintonia e equilíbrio com o mundo interno e externo”, explica.

“Assim”, prossegue Vivika, “um novo padrão é introduzido alinhado à saúde, autorrealização, prosperidade e alegria. Isso é realizado através da ativação de frequências vibracionais ligadas ao despertar e expansão da consciência, resgate do equilíbrio natural do ser humano”, complementa.

Terapia Quântica: alternativa inclui crianças

Ainda segundo a responsável pelo E2 Quântico, pais e mães também observam mudanças no comportamento de meninos e meninas após sessões com a técnica quântica, que alia física quântica com florais e utiliza ferramentas da Mesa Quântica E2 e aromaterapia durante o processo.

São vários os motivos que levam pais a procurarem atendimento das crianças na clínica: agitações, medos, dificuldades em se alimentar, desatenção e depressão. E a orientação de Vivika Sørensen Barone é individualizada.

“O Artur era uma criança insegura, com dificuldades em se alimentar e tinha dificuldades em ganhar peso. Eu procurava uma terapia alternativa na internet quando encontrei o site do E2 Quântico e, logo após o processo, as mudanças já foram visíveis”, diz a pediatra A.L.C sobre o processo com o filho Artur, de quatro anos.

“As mudanças foram maravilhosas e não só no meu filho, mas em toda a família. O garoto mudou, está mais feliz, mais forte e com menos medos. O processo atuou não só na parte psicológica, mas também na parte orgânica. Ele não crescia. Hoje até o semblante dele melhorou e passou a ter mais apetite”, conta.

De acordo com Vivika, casos como este têm sido comuns em seu consultório. “Realizamos um processo bastante efetivo, complementar às terapias tradicionais, com altos índices de relatos de sucesso pelos meus pacientes”, garante.

Vívika Sorensen Barone 

Responsável pelo E2 Quântico, Vívika Sorensen Barone percorreu uma longa jornada de formação, desde seu primeiro curso na área de Terapia Quântica em Radiestesia, Diagnose Energética através do Pêndulo e Tabelas em 2009.

A partir de 2010, investiu na formação continuada em Radiestesia para Mesa Radiônica na UNIET até sua formação em Terapeuta Complementar. Vivika também passou por uma especialização em Terapia Quântica, Ministradora e Operadora de Mesa Psiônica.

“Criei o processo E2 | QUÂNTICO® (Equilíbrio Energético Quântico), que é composto por seis fases de desconstruções, dependendo das características e necessidades de cada pessoa. São elas: Limpeza e Reorganização, Traumas e Emoções Negativas (Libertação Emocional), Heranças Familiares Negativas e Emaranhamentos (Libertação de Vida), Desprogramação de Padrões Negativos, Reprogramação de Padrões Positivos e Manutenção.

Para mais informações sobre terapia quântica para crianças e para conhecer a formação e os processos utilizados por Vivika, basta acessar:

https://www.e2quantico.com.br/relatos/criancas

Website: https://www.e2quantico.com.br/relatos/criancas

Publicidade

Deixe uma resposta