Relacionamento Abusivo
Publicidade

Um relacionamento abusivo é caracterizado por muito mais que agressões físicas. Reconhecer os sinais é o primeiro passo para entender, aceitar que ele existe e sair dele da forma mais segura e digna possível.

Os parceiros abusivos costumam adotar comportamentos de controle, mentiras, jogos psicológicos, sendo frequente que a situação nem sequer seja percebida com facilidade como abusiva pela parceira. Entre eles estão:

Afastamento de outras pessoas, inclusive familiares
O parceiro tem receio de que a mulher desabafe e conte seus problemas para outras pessoas, quebrando a imagem externa do relacionamento. Daí promove o isolamento.

Falta de controle/traição financeira
Não conta quanto ganha, não contribui com as despesas de casa ou não quer que a mulher faça nenhuma compra, independentemente de quem possui o dinheiro. Também pode querer aumentar a poupança sozinho e aumentar o controle sobre as finanças. Procura evitar que a mulher use dinheiro em roupas ou no salão de beleza, atuando também para boicotar ações que melhorem a autoestima (como dieta para controlar o peso, por exemplo).

Abuso/chantagem/violência sexual
Obriga a parceira a manter relações sexuais contra a vontade dela. É importante lembrar que mesmo dentro do casamento, isso é considerado estupro.

Monitoramento constante
Sempre desconfiado, pergunta onde vai, com quem, por que,  e monitora até como vai vestida.

Diminuição da autoestima
Diminui ou desfaz a mulher e suas ações. Nada do que ela faz é bom o suficiente para ele. Compara constantemente sua mulher com a dos outros.

Violência física. 
Bate, empurra, arranha, chacoalha ou segura com força e de forma truculenta

Ameaças
Ameaça constantemente sua integridade física, de seus filhos e família, bem como sua reputação, emprego ou círculo social.

Humilhações e constrangimentos públicos
O parceiro faz piadas e comentários que denotam constrangimento ou ofensa em um relacionamento, principalmente em público.

Falta de diálogo
A mulher não sabe o que o parceiro faz, onde vai, entre outras coisas. Mas ele por outro lado tem controle de tudo.

Sarcasmo e grosseria
Quando o diálogo ocorre na maioria das vezes pautado pelo deboche, com grosseria e sarcasmo desmedido.

Paquera outras mulheres
O parceiro age de forma provocativa com pessoas do sexo oposto. Seduz, joga charme explicitamente, constrangendo a parceira.

Chama a mulher constantemente de louca / histérica
O parceiro abusivo insiste que todos os problemas eventualmente expostos é fruto de “invenção” da mulher.

Tenta mudar as suas escolhas
Ele procura sempre ajustar as escolhas da parceira às suas próprias, retirando a autonomia da mulher.

“Eu te amo, mas…”
Todos os problemas são sempre culpa da mulher, incluindo as grosserias dele, eventuais empurrões e ciúme excessivo.

 “Vou me matar, se você me deixar…” 
É uma forma de controlar, culpar e imputar responsabilidade à mulher com relação a separação e qualquer dano que recorra do término.

Chora, se desculpa pela agressão e volta a agredir – repete
Agride, xinga, ameaça, chora convulsivamente, pede perdão, diz que não vai voltar a fazer e complementa dizendo que ela é quem faz ele perder a cabeça… depois agride, xinga, humilha, ameaça, chora convulsivamente, pede perdão, diz que não vai voltar a fazer e perpetua este círculo.

***

A Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 é um serviço atualmente oferecido pela Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos do Ministério dos Direitos Humanos (MDH). É uma política pública essencial para o enfrentamento à violência contra a mulher em âmbito nacional e internacional.

 

Amanda Lyra – Cantora, compositora, produtora e apresentadora, cadeirante e idealizadora do Projeto Solyra. Diretora e Editora chefe do Expresso Livre e Portal VRNews!Siga ela no FACEBOOK e INSTAGRAM

Publicidade

Deixe uma resposta