Peças do meu todo - Estação de Histórias
Crédito: Divulgação
Publicidade

A vida mostrou cedo que dom é presente divino. Que talento pode crescer na dificuldade. E que no caminho do que é essência, o encaixe é tão perfeito que o fim só pode ser o feito mais que bem feito.

Flávia aprendeu pequena, que dividir era generosidade. Que organizar, era uma necessidade. Em tudo que fazia, tinha seu toque mágico de praticidade. Integrava parte ao todo . Enxergava o macro à partir do micro. Transformava qualquer miscelânea em algo tão fluido e simples que mente e mão era conjunto de ordem e alta produção.

Mas, ainda nova, entendeu os sinais de forma equivocada, mas ainda assim, para o seu propósito estava sendo preparada. Muito estudo e empenho. Muito trabalho com desempenho. Fazia tudo com atenção. Gestava tempo. Entregava excelência e qualidade. Sempre via na organização prioridade. Mas mesmo pra que muito faz, não consegue o impossível, a cobrança vem sem considerar o minimamente sofrível.

Com a determinação e o hábito na essência, seu cronograma de vida já tinha definido. Mesmo sem saber bem o como, a ordem já havia estabelecido. Afinal, pra quem faz etapa virar processo, assim como quem brinca de quebra-cabeças de poucos desafios, sua realidade tinha desenho conforme sua prioridade.

Sua alma prática e visionária a guiava por entre os sinais que tanto ansiava. Não entendia bem a falta que sentia, mas um pequeno vazio ali se fazia. Mas sempre juntando e encaixando cada peça em seu caminho, ia montando seu futuro com carinho.

Viu no cronograma de vida avançando com sucesso, a dor de não ter reconhecimento de valor. E o filho tão desejado, viveu com ela esse momento de dor. O que já estava em perfeito encaixe virou mistura em um instante. O futuro estava sendo guiado, mas ela , ela não seguia confiante. Perdeu sua força pra juntar suas peças e colocar cada qual em seu lugar. Tentar um novo recomeçar.

Precisou acolher as mudanças, entender as faltas. Confiar no pedido do seu futuro preferido. Buscar sua maior e melhor qualidade, para recolocar a vida em ordem de verdade.

No movimento do testa e encaixa, acertou na escolha de sua principal peça. Depois de tanto estudar, de pedir entendimento, foi se formando a imagem do seu encaminhamento. Enxergou longe. Sentiu dentro. As pistas que sempre apareceram, davam lugar à evidência mais preciosa. Seu gosto de menina, que via em tudo a arrumação, reafirmou pra ela que seu caminho não desviava da organização.

Foi trabalhar para si e para o seu sentido e precisou de coragem para assumir e mostrar à sua volta que sua escolha não iria lhe diminuir… E por que pensar assim? Propósito tem grandeza na retidão que se mostra e prega. Nada desmerece que faz com o coração, se doa. Tem cuidado, tem entrega. Nesse flow de leveza e intensidade, cada peça foi encontrando seu lugar no encaixe da felicidade.

Hoje, orgulhosa, leva o recado de que casa é o espelho da vida. Organizar é muito além de arrumar. É conceito de vida. É filosofia sentida.  Ela enxerga longe e não desiste. Persiste. Pois sua verdade sabe que quando se entende o sentido do que ela entrega, se descobre na ordem, mais tempo, mais vida. Agrega valor pela transformação que acontece quando cada peça que ela encaixa, leva para o todo que nasce e floresce.

 

Andréa - Redes Sociais (11)Por Andréa Cristina – Graduada em Administração pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), com mais de 20 anos de vivência na área em grandes empresas e na gestão de negócios próprios; Apaixonada por fotografia e formada na área pela Escola Portfólio;
Formação em Coaching e Mentoring. MBA de Liderança e Gestão de Pessoas;  Mentora e Facilitadora de Desenvolvimento Humano na AC “Viva todo seu Potencial”, na cidade de Curitiba/PR. Idealizadora do Encontro TRANSFORMANDO VOCÊ.

Escritora por paixão, colaboradora da Revista Expresso Livre uma generalista apaixonada pelo ser humano; uma agente de transformação

Publicidade

Deixe uma resposta