Cartaz com fundo azul escuro. Em destaque em letras maiúsculas: Festival Excluso, Eu? 25 a 28 fevereiro. A palavra Festival está em magenta e os dizeres Excluso, Eu? em letras garrafais brancas sobre uma faixa na cor magenta. 25 a 28 fevereiro está em letras menores azul ciano. Na parte superior esquerda, os ícones do Facebook, Instagram, Youtube e internet estão em azul ciano e preto. Em seguida, há uma fotomontagem de uma boca aberta. Em branco, a palavra on estilizada e o símbolo do Youtube. Na parte superior direita, sobre um círculo amarelo, uma mão direita fechada com os dedos mínimo, indicador e polegar levantados, que formam o sinal de amor em Libras. Na parte inferior esquerda, um QR Code e ao lado, está escrito em letras brancas: Inscreva-se em nosso canal do YouTube: @acasadaslagartixas. YouTube está em letras vermelhas. Na parte inferior direita, um contorno branco forma um balão de fala com os dizeres: com Audiodescrição e intérprete de Libras. Espalhados por todo o cartaz, pontos de braile com a frase: Inclusão de cu é rola, com as letras iniciais de cada palavra em magenta e as demais em azul ciano.. Audiodescrição: Luis Daniel Consultoria: Jessica de Morais
Crédito: Divulgação
Publicidade

A discussão entre “exclusão” e “inclusão”  não sai da vida da maioria das pessoas com deficiência, não importa a idade, nem a formação acadêmica. Por isso, um grupo de profissionais com e sem deficiência realizarão, de 25 a 28 de fevereiro, o Festival Excluso, Eu? com transmissão gratuita pelo Youtube.

Com o apoio da companhia teatral Casa das Lagartixas, de São José dos Campos (SP), serão quatro noites de apresentações e debates que colocarão na mesa a participação e o profissionalismo das pessoas com deficiência.

Além dos artistas, a maioria dos profissionais que estão nos bastidores possui alguma deficiência. Estão na direção-geral, nas artes gráficas, na assessoria de comunicação e outras funções.

Uma das inspirações para produzir o Festival Excluso, Eu? é a necessidade que o grupo tem de explorar seu próprio potencial profissional. De acordo com o último Censo, realizado em 2010 pelo IBGE, o Brasil tem uma população de aproximadamente 25% que se declaram com algum tipo de deficiência.

Para a idealizadora do festival, Ariadne Antico, a Palhaça Birita, é preciso cada vez mais se discutir políticas públicas efetivas para as pessoas com deficiência. “Não adianta se debater ações para esse público sem a verdadeira participação delas”, afirma.

Espetáculos e curta desmistificam questões sobre deficiências de forma natural

Os espetáculos que fazem parte do Festival Excluso, Eu? foram selecionados por, em sua maioria, evidenciar os questionamentos e atitudes em relação aos mais diversos tipos de deficiências.

Um exemplo é o curta-metragem ProfanAção, da Companhia Estela Laponni. da cidade de São Paulo. Ele é protagonizado por cinco artistas com deficiência que se deparam com diversas perguntas enviadas pelo público que revelam a curiosidade em torno de seus corpos.

Já a Companhia Trupe Sentidos, de São José dos Campos, traz o espetáculo Baú de Histórias, uma peça lúdica que desperta no público as necessidades de quebrar as barreiras da comunicação e que as realidades podem mudar.

 

Ainda na programação artística do festival estão dois monólogos. A atriz cearense Jéssica Teixeira protagoniza a peça Pudesse ser apenas um enigma, onde ela faz uma desmontagem de seu primeiro solo, “E.L.A”, que surge de uma pesquisa de Jéssica a partir do próprio corpo estranho da atriz, produtora e diretora.

 

O festival contará também com o monólogo Birita, Procura-se, que terá quatro episódios. Interpretada pela palhaça Birita (Ariadne Antico), ela quer encontrar um emprego para pagar as suas contas e atingir suas metas. Mas será que ela está preparada para lidar com as frustrações do mercado de trabalho?

 

Debates Café e Prosa aprofundam protagonismo das pessoas com deficiência na sociedade

Além dos espetáculos e do curta, o  Festival Excluso, Eu? coloca em dois debates virtuais os desafios e caminhos para se tornar realidade a participação efetiva das pessoas com deficiência no Brasil.

O Café com Prosa, que será transmitido ao vivo pelo canal de A Casa das Lagartixas Teatro Clube, discutirá sem censura, a ocupação de territórios pelas pessoas com deficiência na sociedade. Outro tema que estará em debate será as políticas e formas de economia das pessoas com deficiência.

 

“É fundamental entendermos e discutirmos nosso lugar na sociedade. Muitas vezes, negligenciamos isso e acabamos delegando um trabalho/espaço que é nosso por direito, a outras pessoas”, comenta Ariadne Antico.

Acessibilidade em primeiro lugar

Todos os eventos e materiais de divulgação contarão com recursos de acessibilidade de comunicação: como audiodescrição e intérprete de Libras.

 

Serviço

Festival Excluso, Eu?

Data: De 25 a 28 de fevereiro de 2021

Exibição Gratuita no Canal da Cia. Casa das Lagartixas

 

Programação

Dia 25 – Quinta-feira

19h – Birita Procura-se (Ep. 1)

Dia 26 – Sexta-feira

19h – Birita Procura-se (Ep. 2)

22h – ProfanAção

Dia 27 – Sábado

17h –Café com Prosa: O Protagonismo DEF, explodindo territórios

19h – Birita Procura-se (Ep. 3)

22h – Pudesse ser apenas um enigma

Dia 28 – Domingo

15h – Baú de Histórias

17h – Café com Prosa: Políticas e economias DEF

19h – Birita Procura-se (Ep. 4)

* Todos os espetáculos ficarão disponíveis por 24h no canal da Cia Casa das Lagartixas no Youtube.

O Festival Excluso, Eu? é realizado e produzido pela Cia. Casa das Lagartixas Teatro Clube, por meio da Lei Federal Aldir Blanc 14.017/2020 de 29 de junho de 2020, Fundação Cultural Cassiano Ricardo, Prefeitura de São José dos Campos, Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal,  com apoio da Ska Web Results e da Luis Daniel Assessoria de Imprensa.

 

Por Luis Daniel

@ldjornalista

Publicidade

Deixe uma resposta