Festival de Curitiba adiado
Crédito: Divulgação/ facebook
Publicidade

A produção do Festival de Curitiba lançou em nota oficial a decisão do adiamento de toda a sua programação devido a pandemia do Covid 19, o Coronavírus.

A decisão se deve à segurança e ao cuidado com a saúde do público, dos artistas e de toda a equipe de trabalho. O evento está reagendado para setembro de 2020, entre os dias 1° e 13. Os ingressos já adquiridos continuam válidos para a programação nas datas para setembro. Mais informações serão divulgadas em breve. Acompanhe as notícias do Festival pela Revista Expresso Livre, mas aproveite para seguir as páginas oficiais do evento: facebook,   instagram   e o site oficial.

Posted by Festival de Curitiba on Friday, March 13, 2020

Mais sobre o Festival

Festival de Curitiba começou como um presente de aniversário para a cidade em 1992 e inaugurou um capítulo brilhante no calendário da cultura brasileira. Desde então promove o encontro das artes com o entretenimento na capital do Paraná e reforça a cada edição a marca de maior Festival de artes cênicas da América Latina.

No ano de 1998 o Festival de Curitiba importa a primeira edição do Fringe, uma mostra que surge espontaneamente em 1947, em Edimburgo, na Escócia. O Fringe nasce quando companhias de teatro que não estavam na programação do Festival Internacional de Edimburgo resolvem criar um evento paralelo à margem do oficial – a partir desta data outros Fringes surgem pelo mundo e em Curitiba não seria diferente. O espaço aberto, democrático e sem curadoria recebe companhias artísticas do Brasil e do mundo que vêm ao Festival em busca de visibilidade, audiência e crítica especializada.

Novos públicos buscam novas alternativas de entretenimento e em 2003 acontece a primeira versão do Risorama que reúne grandes nomes do stand-up comedy nacional. Cinco anos depois, em 2008, é hora do Gastronomix celebrar a gastronomia e a música em uma programação única que contempla as criações de chefs renomados no cenário.

No mesmo ano tem início o Programa Guritiba, que promove a formação de plateia em áreas de vulnerabilidade social e atua em pilares como educação, arte e apropriação de espaços culturais da cidade. Na sequência, em 2009, o MishMash inaugura a magia das artes circenses no roteiro do Festival e finalmente em 2017 começam as Interlocuções, onde oficinas, encontros críticos, palestras e outras atrações aprofundam os debates propostos pelos espetáculos do Festival.

Em 2020, chega à sua 29ª edição como um canal de formação, atualização e reflexão de artistas e público, fazendo da cidade o palco de todos. Em quase trinta anos, passaram pelo festival mais de três milhões de pessoas e cinco mil peças de centenas de companhias do Brasil e do mundo.

 

*Redação com informações oficiais retiradas do site https://festivaldecuritiba.com.br/

 

Publicidade

Deixe uma resposta