Publicidade

São Paulo/SP 30/9/2020 – Ele reflete sobre a importância da resiliência e de reavaliar a influência do externo na vida de cada pessoa.

Com mais de 100 mil livros vendidos no Brasil, Guilherme Pintto aborda o tema apresentando diferentes estratégias utilizadas por ele durante o processo

Tudo indica que a saúde mental será uma das sequelas mais devastadoras da pandemia do novo coronavírus. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que atualmente quase 1 bilhão de pessoas vivem com transtorno mental e uma pessoa morre a cada 40 segundos por suicídio. Paralelamente a isso, o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) destaca que os casos de feminicídio cresceram 22,2%,entre março e abril deste ano, em 12 estados do país, comparativamente ao ano passado. O isolamento social se mostrou um grande desafio, mas também uma oportunidade de nutrir o tipo de amor mais importante que há para ser cultivado: o amor-próprio. E para incentivar quem precisa fazer as pazes consigo mesmo, Guilherme Pintto compartilha sua história de construção do autoamor no livro Como me tornei o amor da minha vida (Editora Planeta).  

Na obra, o autor conta como sua história de amor-próprio começou ainda na infância, ao se livrar da realidade de violência doméstica que vivia com o padrasto. Foram quase dez anos presenciando a agressão física de sua mãe, além dele próprio ter sido uma vítima em segredo. Aos 14 anos, o ciclo de horror teve fim e Gui deu início a uma trajetória de autoconhecimento que mudaria sua vida. “Guilherme Pintto narra de forma autêntica e muito sensível a história de uma criança ferida e de um adulto que precisou aprender a buscar dentro de si a forma mais eficaz de acolher e cuidar das cicatrizes desse menino: o seu verdadeiro amor-próprio”, afirma Maria Eugênia Korndörfer Copetti, psicóloga.

Ao longo do livro, ele fala sobre hábitos e atitudes que o ajudaram a reconstruir sua rotina e olhar para dentro de si. Ele reflete sobre a importância da resiliência e de reavaliar a influência do externo na vida de cada pessoa, mostrando como é importante a compreensão de que o amor-próprio vem de si e leva tempo para ser consolidado. “É um processo no qual se amar não acontece do dia para a noite, pois, assim como todo amor, requer tempo e intimidade. E como formiguinhas, vamos aos poucos nos construindo novamente”, afirma Guilherme.

Com cerca de 800 mil inscritos em seu canal do YouTube, no qual discorre sobre amor, pessoas e comportamento, Guilherme Pintto se destacou no mercado editorial com o fenômeno Seja o amor de sua vida, seguido de O óbvio também precisa ser dito, ambos publicados pela Planeta. Além de propagar o amor pelas redes sociais, o comunicador também é conhecido por realizar palestras e espetáculos em diversas regiões do país.

Website: https://www.planetadelivros.com.br

Publicidade

Deixe uma resposta